terça-feira, 5 de julho de 2011

UM AMOR QUE ATRAVESSA AS DÉCADAS


Uma bela história de amor comove o espectador independente da época. Seja no passado, no presente ou no futuro, se ela for bem contada, ela trará a tona emoções e até lágrimas. Em 1957, o diretor Leo McCarey resolveu atualizar um de seus trabalhos anteriores. Assim deu vida nova à Duas Vida, produzido no final da década de 30. Ele próprio reescreveu o roteiro e compôs diversas músicas para Tarde Demais Para Esquecer, um clássico que atravessa as décadas colhendo novos apaixonados para sua lista de fãs. Cary Grant e Deborah Kerr estrelam esta produção que marcou época, apesar de muitos a considerarem demasiadamente dramática e com estilo extremamente folhetinesco. A história começa em um navio no qual estão viajando Nickie Ferrante, um conhecido playboy da alta sociedade, e Terry McKay, uma bela ex-cantora de cabaré. Relutante no início, a moça acaba cedendo aos galanteios do cortejador. Eles se apaixonam durante o trajeto, mas ambos já estão comprometidos e então fazem um acordo: ambos terão seis de meses de prazo para terminarem seus relacionamentos atuais e se certificarem de que desejam se unir realmente. Inclusive, além da data, eles chegam a estipular um lugar e um horário para o reencontro. É claro que contratempos irão surgir para evitar que eles se unam novamente. Aliás, a vida dá uma bela rasteira no casal poucos minutos antes do tão esperado compromisso.

Esse enredo, com seus personagens românticos e que parecem não ter outros problemas a não ser ficarem juntos, pode parecer um tanto ultrapassado e desconexo com o mundo atual, mas ainda é muito apreciado e consegue transmitir sua mensagem de sempre se acreditar que o amor vence barreiras. A virada do roteiro, quando algo inesperado surge evitando o reencontro, é um prato cheio para quem gosta de tramas melodramáticas, daquelas que fazem o espectador chorar em um piscar de olhos. A história é tão atemporal que, além das duas versões antigas comandadas por McCarey, ainda gerou dois longas mais moderninhos que bebem em sua fonte. Em 1994, o casal Warren Beatty e Annette Benning estrelaram a adaptação Love Affair - Segredos do coração, mas sem sucesso. Um ano antes, Meg Ryan chorava compulsivamente ao assistir o clássico dos anos 50 na comédia Sintonia de Amor, na verdade uma homenagem ao próprio filme citado. A cena em destaque mostra a troca de olhares entre os protagonistas ocorrida no restaurante do transatlântico. Os dois são alvos de chacota por parte dos outros hóspedes tamanha a fama de sedutor do rapaz. Hoje, quanto mais conquistas amorosas no currículo, melhor a reputação. Os tempos mudam, infelizmente, mas a história de amor retratada em Tarde Demais Para Esquecer atravessa as décadas mantendo seu romantismo intacto.

Um comentário:

renatocinema disse...

Esse filme passará séculos.

É tocante, "simples" e mágico pelo conjunto da obra.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...