sexta-feira, 22 de julho de 2011

FESTIVAL DE FÉRIAS - DE REPENTE 30

Sexta-feira é dia de se divertir bastante, apesar de que para quem está de férias todo o dia é dia de muita alegria. Para começar bem o fim de semana, a dica de hoje é voltar no tempo e curtir os agitados anos 80, mas sem precisar recorrer a um título muito antigo. A sugestão é assistir De Repente 30 (2004), uma deliciosa comédia contemporânea, mas com um ar irresistivelmente nostálgico. A todo o momento, diversas citações musicais ou de hábitos de consumo tratam de fazer o espectador viajar ao passado sem muito esforço, mas sem perder o foco na relação amorosa entre duas pessoas que o tempo acabou estremecendo. O diretor Gary Winick era um especialista em comandar produções do tipo água com açúcar, como Cartas Para Julieta, seu derradeiro trabalho, e aqui não fez diferente. Misturou romance e humor nas doses certas para atingir platéias de diferentes faixas etárias.

O filme conta a história de uma pré-adolescente que está vivendo os conflitos normais da idade. Ela se acha feia, desengonçada e não é muito popular na escola. Assim, ela não quer perder nenhuma oportunidade de se aproximar das alunas mais descoladas e requisitadas pelos garotos, mesmo que para conseguir isso ela precise se estranhar com seu melhor e mais fiel amigo. Ao completar 13 anos, com a ajuda de um pó mágico, a garota faz um pedido de aniversário: quer logo chegar aos 30 anos, idade que considera ideal e que acredita que estará realizada em todos os sentidos.


De uma hora para a outra, Jenna Rink (Jennifer Garner) se encontra em uma vida completamente diferente e bem mais velha. Ela mora sozinha, trabalha na produção de uma revista, é muito namoradeira e interesseira, não visita os pais há tempos, mas parece estar com o corpo que sempre quis e muito bem-sucedida na parte financeira. Porém, ela não vê sentido em nada disso, pois não se lembra como fez para chegar ao que ela é hoje. Aos poucos, a jovem começa a perceber que a mágica fez com que ela pulasse importantes partes da sua vida que serviriam para transformá-la em uma pessoa melhor. Sua principal dúvida é saber o que ela fez para se afastar de seu grande amigo de infância, Matt (Mark Ruffalo), e ao reencontrá-lo não vai desistir de tentar provar que ela ainda é a mesma garota por quem ele era apaixonado e que merece uma chance para reparar seus erros do passado.

Obviamente, o enredo é bem fantasioso, mas é justamente na tentativa de aflorar a garota que vive dentro do corpo de uma adulta que está a graça de tudo. Assim, tornam-se muito divertidas as cenas em que Jenna troca confidências com menininhas, tentando paquerar um adolescente na lanchonete ou ainda fugindo de seu namorado fogoso, mas é certo que a narrativa deve fisgar o espectador pelo seu viés romântico. Ao mesmo tempo em que quer deixar seu lado infantil tomar conta de sua nova fase na vida (o figurino da personagem já denuncia), a jovem também consegue amolecer o coração de Matt que, inicialmente, parece guardar profunda mágoa da amiga desde os tempos do colégio. O problema é que ele já está comprometido a esta altura da vida com outra mulher, mas nada que o impeça de tentar reviver as alegrias da juventude.


Com uma trilha sonora bem datada e escolhida a dedo, com direito a recriação da coreografia de uma famosa música de Michael Jackson e ainda a voz potente de Madonna para coroar o final com um de seus hits da década de 80, De Repente 30 é um daqueles filmes que parecem feitos por encomenda para se tornarem clássicos instantâneos das sessões da tarde. Em meio a tanta vulgaridade que é produzida para o público infantil e adolescente, assistir esta comédia é um sopro de inocência para as novas gerações e, de quebra, adultos devem recordar bons momentos de suas vidas. Opção excelente para assistir sem preocupações, apenas para relaxar.

Um comentário:

Vagner disse...

Ótimo filme, é dos melhores que abordam esse tema.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...