sexta-feira, 8 de julho de 2011

FESTIVAL DE FÉRIAS - DEMOLIDOR, O HOMEM SEM MEDO

Sexta-feira é dia de relaxar e já se preparar para o fim de semana, por isso hoje a dica é assistir uma aventura para se divertir sem esquentar a cabeça. A sugestão é assistir uma produção baseada em quadrinhos. Filmes de heróis já é um subgênero consagrado e explorado aos montes há várias décadas, mas talvez nunca a onda foi tão forte como a que foi iniciada em 2000. De lá para cá, muitas HQs ganharam sua versão em carne e osso, geraram continuações, venderam milhares de bugigangas com a logomarca, mas nem todas foram o sucesso esperado, como Demolidor - O Homem sem Medo (2003). Realmente sua história e seus efeitos especiais levam vários banhos de água fria se comparado com X-Men ou Homem-Aranha, por exemplo, mas não deixa de ser uma produção que cumpre muito bem aquilo que promete: simplesmente divertir.

O personagem Demolidor deve despertar, no mínimo, certa curiosidade, pois sua imagem nunca foi muito explorada comercialmente. Só mesmo quem era aficionado por quadrinhos poderia conhecê-lo e nem atualmente, após anos de lançamento do longa, sua marca é muito conhecida. Isso já é um ponto a favor ao filme, pois através dele o público pode conhecer outro tipo de herói, um ser com uma história mais adaptável ao cotidiano, um homem vítima da violência da sociedade. Ele não tem poderes especiais oriundos de mutações ou experiências genéticas, pelo contrário, sua força vem da forma intensa que ele treinou seus sentidos, como o tato e audição, para enfrentar as dificuldades que a vida lhe impôs. Quando criança, Matt Murdock (Scott Terra) teve uma grande decepção ao descobrir o verdadeiro trabalho de seu pai. Ao fugir dele, o jovem sofreu um acidente que fez com que ele perdesse a visão totalmente. Porém, ele não deixou se abater e decidiu seguir em frente e dedicar a sua vida ao combate às injustiças.


Assim, já adulto, Murdock (Ben Affleck) dedica seu tempo durante o dia para exercer a profissão de advogado, mas também treina pesado artes marciais para suas atividades noturnas. Quando cai a noite, ele veste um uniforme vermelho escuro e sua máscara e sai pelas ruas para dar uma lição aos bandidos com as próprias mãos. Mesmo comportando-se como um verdadeiro herói, sob o pseudônimo Demolidor, ele é incompreendido por alguns. Seu principal inimigo nessa fase é o chamado Mercenário (Colin Farrell), que vai testar até onde vai a valentia desse justiceiro e encontrar seu ponto fraco. É quando a jovem Elektra (Jennifer Garner) vira o alvo do vilão ao descobrir o seu envolvimento com o rapaz.

O elenco pequeno e conhecido do grande público ajuda a manter o interesse no filme. Affleck, antigamente subestimado, segura muito bem as pontas como protagonista apoiado nas boas interpretações dos coadjuvantes, estrelas em plena ascensão, como Farrel, aliás, excelente como o vilão. Apesar da excelente premissa, o maior problema do longa é seu roteiro pouco inspirado e com algumas situações inverossímeis, como alguns exageros que nenhum sentido apurado poderia oferecer ao seu portador, mas nada que atrapalhe uma sessão-pipoca descompromissada.


Lançado pouco tempo depois do sucesso Homem-Aranha, então em sua primeira parte, esta produção do diretor Mark Steven Johnson sentiu os efeitos positivos e negativos diretos que o herói aracnídeo provocou. Tratado antes como um projeto experimental, o filme ganhou rapidamente status de super produção e uma injeção de dinheiro extra em seu orçamento, assim nada mais natural que uma cobrança maior dos estúdios e produtoras envolvidos. Porém, muita expectativa e pouco retorno. Como já dito, o herói em questão era pouco conhecido fora do mundinho das HQs, o que certamente afugentou o público, além de que a produção em termos de adrenalina e efeitos especiais passa longe de outros títulos do gênero. Demolidor - O Homem sem Medo não é considerado um dos melhores longas de heróis, mas está longe de ser péssimo. A história é de fácil compreensão até mesmo para quem nunca leu uma de suas aventuras e o leve tom dramático de sua história ajuda a segurar a atenção. O tempo acabou afastando o fantasma do fracasso e hoje o título é visto como uma boa aventura, mas, infelizmente, uma continuação não saiu do papel. Apenas foi lançado dois anos depois um longa protagonizado por Elektra, mas que foi tão criticado quando o protagonizado por Affleck. Mesmo assim, é uma ótima opção para se divertir nas férias e que merece ser vista com mais atenção.

Nenhum comentário:

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...