terça-feira, 31 de janeiro de 2012

UM JANTAR INESQUECÍVEL


A Disney construiu sua imagem de maior produtora de animação do século 20 e consolidou-se como sinônimo de cinema livre e familiar não só apoiada nas histórias clássicas de princesas, mas os animais também tiveram papel importante nesta trajetória de sucesso. Bichinhos fofinhos sempre fizeram parte das produções da empresa, como os animais da floresta que fazem amizade com a Branca de Neve ou o Grilo Falante que ajuda o boneco de madeira Pinóquio, mas como naqueles tempos o cinema ainda era algo muito recente causou frisson a idéia deles virarem o centro das atenções em filmes. Se para adestrar um bichano demoraria muito tempo e os resultados insatisfatórios, nada melhor que essas histórias fossem contadas por intermédio de desenhos animados, um campo onde nada é impossível. Já com ampla experiência em animar bichos e tendo no currículo o sucesso Bambi, o estúdio lança em 1955 mais um eterno clássico. A Dama e o Vagabundo pode ser visto apenas como um conto romântico e ingênuo para agradar crianças, mas com um olhar mais atento podemos encontrar caminhos mais interessantes na narrativa e as famosas lições para o público infantil, como lidar com o sentimento de rejeição e lidar com responsabilidades e a tão sonhada liberdade. O enredo é sobre uma cachorrinha de raça que é acolhida por um casal de aristocratas e vira o seu xodó. Acostumada a sempre ganhar carinho, atenção e mordomias em casa, Lady, como é chamada, se sente rejeitada quando seus donos têm um bebê. Outros cachorros já haviam a alertado que quando chega uma criança no lar o animal de estimação fica em segundo plano. Enquanto isso, Vagabundo é um cachorro de rua que teve uma vida bem diferente e sempre precisou vencer uma batalha por dia para sobreviver. Os dois se encontram quando a cadelinha foge de Tia Sarah, uma senhora que cuida do bebê na ausência dos seus pais e que acredita que Lady poderia  fazer algum mal ao pequeno.  Vagabundo então a ajuda a conhecer o mundo que existe fora da confortável casa em que Lady vivia ao mesmo tempo em que tenta convencê-la a dar a volta por cima e reconquistar seu espaço junto a família que a adotou.

domingo, 29 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - MAMMA MIA!

Hoje é o último dia desta temporada do "Festival de Férias" e para encerrar nada melhor que assistir a um filme alto astral e que tem o clima ensolarado do verão e de férias (se é que alguém no Brasil conseguiu curtir razoavelmente o sol em janeiro já que choveu em praticamente todas as regiões o mês todo). Mamma Mia! pode ser considerado a tradução cinematográfica do que um período de descanso significa. Do início ao fim, o espectador é convidado a participar de uma verdadeira festa que parece não ter hora para acabar e, de quebra, se deliciar com um passeio por belas paisagens gregas, embora a maioria tenha sido inserida através de computação gráfica, mas isso é só um detalhe. Em meio a tanta diversão e descontração quem vai ficar procurando defeitos? Bem, não é todo mundo que deixa seu espírito alegre aflorar com esta produção.

sábado, 28 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - A NOIVA CADÁVER

Filmes sobre almas de outro mundo e cadáveres que saem de suas tumbas para voltar ao mundo dos vivos são coisas para adultos. Bem, para Tim Burton isso não é verdade e tais criaturas apavorantes podem tranquilamente habitar o imaginário infantil. Conhecido pela sua excentricidade e adoração ao gótico, o cineasta imprime seu estilo em uma animação de stop-motion (aquela que anima bonecos quadro a quadro) e chama a atenção não só dos pequenos, que encontram a mistura ideal de humor e suspense que tanto curtem, mas também do público mais velho que se depara com uma história inteligente tingida praticamente de tonalidades escuras e frias. A Noiva Cadáver (2005) é baseado em um conto do século 19 do folclore russo e deixa explícito no seu visual as diferenças entre o mundo dos vivos e o dos mortos, ou seja, o cenário ideal para o diretor deitar e rolar.

OS ASTROS DO OSCAR 2012



Confira abaixo quem são os atores e atrizes indicados ao Oscar 2012. Relembre suas participações na grande festa do cinema e descubra quem estará desfilando pelo tapete vermelho pela primeira vez.

Relembre os artistas que concorreram ao Oscar 2011 clicando aqui

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - HORROR EM AMITYVILLE

Remexer em situações misteriosas do passado para conseguir material para filmes de terror e suspense pode soar como uma idéia batida e que vai dar com os burros n'água, mas esse tipo de produção tem seu público cativo e por isso anualmente ao menos uns dez títulos com pretensões de deixar os espectadores roendo as unhas desembarcam nos cinemas ou diretamente nas locadoras. O famoso baseado em fatos reais é o chamariz e quanto mais instigantes e bizarros forem os fatos que deram origem ao roteiro melhor, embora muitas produções utilizem esse recurso de forma desonesta só para atrair público. Ainda bem que vez ou outra surge um excelente filme de terror que não se prende a apenas agradar platéias acéfalas, mas tem pretensões de arrebatar novos fãs para o gênero e agregar ou até mesmo reconstruir sua imagem. Um bom exemplo disso é Horror em Amityville (2005), longa dotado de muitas qualidades, como uma narrativa coesa e crível, boas interpretações, ambientação aterrorizante e cenas que assustam, mas não chegam a chocar totalmente. Uma pena que pouca gente o tenha assistido, ao menos no cinema.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - EM UM MUNDO MELHOR

Escolher um título para um filme não é uma tarefa fácil. É preciso em poucas palavras expressar a idéia principal da produção ou ao menos deixar o público instigado a assistir. Assim, existem títulos muito originais, outros horríveis, alguns enigmáticos e também aqueles que vendem gato por lebre, mas nem sempre isso é de propósito. Em Um Mundo Melhor (2010) é um bom exemplo disso. Vende a idéia de um draminha edificante e isso ele até é, mas o conteúdo é apresentado de forma desagradável para aqueles que buscam mensagens positivas em histórias que se passam em ambientes bonitos, coloridos e que tenham um casal feliz no centro das atenções no final ou criancinhas que chegam ao mundo para fazer o bem. A utopia do mundo melhor é o que motiva um dos protagonistas desta trama que confia que um dia os seres humanos passarão a ser mais corretos, respeitosos e éticos, mas sabe que o caminho para chegarmos a esse paraíso na Terra não é fácil e tampouco rápido. Ou se não sabia, acabou descobrindo dentro da própria casa e círculo de relacionamentos.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

OS 09 TÍTULOS CONCORRENTES AO OSCAR 2012 DE MELHOR FILME

O Oscar mais uma vez optou por mudanças na sua categoria principal. Nos dois últimos anos foram dez títulos indicados para Melhor Filme visando oferecer uma visibilidade melhor para algumas produções, mas o resultado não agradou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Chegaram a conclusão de que alguns indicados não mereciam estar nas listagem. Na festa de 2012, no mínimo cinco filmes deveriam ser escolhidos, podendo chegar ao máximo de dez. No anúncio do dia 24/01 acabaram sendo divulgados nove candidatos a estatueta. A regra agora é que um filme só iria concorrer se tivesse ao menos 5% da preferência dos votantes, ou seja, nas listagens para a vaga de Melhor Filme um mesmo longa deveria ser o primeiro voto de 5 pessoas entre 100 jurados (obviamente esta é só uma exemplificação). Abaixo conheça um pouco dos finalistas da 84º edição da premiação.   

FESTIVAL DE FÉRIAS - DESVENTURAS EM SÉRIE

Existem estilos de filmes que marcam determinadas épocas e sem dúvida a primeira década do século 21 foi marcada pela fantasia e adaptações de uma literatura que dificilmente cai no gosto dos críticos especializados, mas encontra as atenções que merece por quem realmente importa: o público. Visando lucrar com crianças e adultos, muitas produtoras e grandes estúdios de cinema bancaram as adaptações de livros com histórias mágicas e cenários oníricos, alguns com sucesso estrondoso e outros que parecem ter sido enfeitiçados por alguma criatura maldosa tamanho seu fracasso.  No meio termo encontramos Desventuras em Série (2004) baseado na série literária "A Series of Unfortunate Events" de Daniel Handler. Até o ano de lançamento do longa, haviam 11 exemplares, mas a previsão eram 13 volumes. O diretor Brad Silberling combinou eventos que ocorrem nos três primeiros produtos da série, porém, os anos passam e nem sinal das outras histórias ganharem sua versão cinematográfica, o que já indica que algo saiu dos eixos na produção, muito provavelmente o caixa que ficou com receita abaixo do esperado.
 

FILMES COM VISUAIS INTERESSANTES LIDERAM DISPUTA DO OSCAR 2012


A Invenção de Hugo Cabret

Longa com visual arrebatador pode dar o segundo Oscar de Melhor Diretor para Martin Scorsese

11 indicações





O Artista

Filme francês, preto e branco e mudo é um verdadeira homenagem ao cinema e forte candidato ao prêmio

10 indicações

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - O VENCEDOR

Que o esporte é uma inesgotável e até repetitiva fonte de idéias para o cinema isso todo mundo já está cansado de saber. É curioso como fórmulas repetitivas ainda dão certo. Por exemplo, filmes sobre boxe geralmente se equilibram entre a violência e a mensagem edificante de mudança de vida através de uma atividade esportiva. Esse tipo de produção tem seu público cativo. Há quem goste de ver dois homens ou as vezes mulheres trocando sopapos e pingando suor, mas quando a briga tem por trás um bom drama, daí o público desse tipo de filme infla. Esse é o caso de O Vencedor (2010) que certamente ganhou notoriedade graças as suas sete indicações ao Oscar. Sem elas provável que o longa seria lembrado como apenas mais um entre tantos filmes sobre boxe. Aliás, a Academia de Cinema parece ser atraída por este esporte, premiando como melhor filme no passado Rocky - Um Lutador e Menina de Ouro, além de lembrar de obras do tipo em outras categorias e por diversas vezes.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - RANGO

O nome de um dos atores mais excêntricos de Hollywood em destaque no material publicitário e a estampa de uma criatura que aparentemente tem olhos esbugalhados segurando um peixe nas mãos só podem indicar uma coisa: mais um pareceria entre Johnny Depp e o diretor Tim Burton. Errado! O astro empresta sua voz desta vez para uma animação de Gore Verbinski, o mesmo que o presenteou com o papel principal da série Piratas do Caribe. Se o ator é famoso por sua capacidade de mudar completamente seu visual de um trabalho para outro, nada melhor do que ele dublar justamente um camaleão, réptil conhecido por sua constante mudança de cores dependendo do local ou circunstâncias. Rango (2010) é o primeiro longa-metragem animado da Industrial Light & Magic, empresa que já conquistou diversos prêmios graças aos efeitos especiais que criaram para diversos produtos de sucesso, como Parque dos Dinossauros.

domingo, 22 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - O AVIADOR

Existem algumas produções que nascem com quase tudo contra o seu sucesso. O Aviador (2004) é um exemplo. Longo demais, biografia de um homem estranho a boa parte da população mundial, jeito de dramalhão e Leonardo DiCaprio como protagonista (na época o astro ainda batalhava para se livrar do estigma que Titanic lhe deixou). Por outro lado, o elenco coadjuvante, a reprodução impecável da primeira metade do século 20 e a metalinguagem de homenagear o cinema dentro de um filme chamam a atenção. Somam-se a isso tudo a direção sempre competente de Martin Scorsese e muitas indicações a prêmios. O longa ganhou notoriedade e levou bastante gente aos cinemas e movimentou o mercado de locações quando lançado em DVD, mas a aprovação não foi a esperada. Muita gente após o término (se é que assistiram até a última cena) provavelmente jurou não recomendar este filme nem para o seu pior inimigo. E isso não é exagero, é verídico, mas uma grande injustiça. 

sábado, 21 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Cineastas que evitam atirar para todos os lados experimentando vários gêneros conseguem criar uma marca própria e fidelizar seu público, sendo o maior exemplo disso Woody Allen com suas histórias que mesclam drama e humor e sempre contam com um elenco numeroso e estrelar. Porém, outros conseguem transitar por diversos campos e ainda assim deixar sua assinatura na obra, como é o caso de Tim Burton, um habilidoso mestre na arte de criar imagens criativas graças ao apuro técnico que emprega em seus trabalhos, mas sem nunca se esquecer de construir personagens memoráveis. Com platéias cativas, cada nova estréia sua é um verdadeiro evento que marca época e depois ultrapassa gerações. Alice no País das Maravilhas (2010) tem potencial para tanto, embora o impacto esperado no lançamento não tenha ocorrido. Para muitos, desta vez o diretor não equilibrou bem a qualidade visual com a da história.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - ATRAÇÃO PERIGOSA

Matar um leão por dia, ou melhor, por filme. Trocando em miúdos, alguns artistas precisam a cada novo trabalho provar do que são capazes e até mesmo tentar apagar erros do passado. Esse deve ser o lema de muitos atores, entre eles Ben Affleck, ator que ainda muito jovem viu todos os holofotes voltados para si ao ganhar um Oscar pelo roteiro de Gênio Indomável que escreveu em parceria com Matt Damon. Ambos atuaram neste longa e foram muito elogiados, mas depois trilharam caminhos opostos. Enquanto um viu sua carreira crescer a largos passos o outro se viu em meio a tropeços profissionais e também na vida pessoal. O homem que vemos em Atração Perigosa (2010) parece outro.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - EU, MEU IRMÃO E NOSSA NAMORADA

De tempos em tempos surge algum nome no mundo do cinema que chega para pegar o lugar, ou melhor, herdar a vaga deixada ou que será deixada por algum intérprete. Isso é natural e o próprio público trata de eleger os privilegiados. O problema é quando o provável substituto tem praticamente a mesma idade que o atual ocupante do posto. Este é o caso de Jim Carrey, sempre um sinônimo de comédia e alegria, que está longe de pensar em se aposentar, mas tem seu trono de rei do riso ameaçado pela grande popularidade que conquistou nos últimos anos o ator Steve Carell. Outrora conhecido por seu trabalho em seriados de TV, o cara foi descoberto tardiamente pelos diretores de cinema, mas vem emplacando consecutivos sucessos, embora alguns só ganhem a atenção dos espectadores quando lançados em DVD como é o caso de Eu, Meu Irmão e Nossa Namorada (2007). 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - RATAOUILLE

A equipe de criação e animação da Pixar já deu vida a objetos parcialmente inanimados como automóveis e brinquedos, deu personalidade para seres marinhos e transformou monstros em criaturas adoráveis. Bem, não é nenhum espanto então que o simpático e criativo ratinho protagonista de Ratatouille (2007) tenha caído no gosto popular facilmente. O diretor Brad Bird, o mesmo que conduziu Os Incríveis, foi esperto ao fazer uma receita gostosa que agrada a todos os paladares desde crianças até idosos, a começar pelo título que leva o nome de um famoso prato vegetariano francês. O cinema sempre utilizou elementos relacionados a cozinha ou alimentação para contar belas histórias, mas em animação esse viés ainda é pouco explorado. Com muita classe e charme, o cineasta concentra sua história praticamente toda dentro de um famoso restaurante em Paris, na França, onde uma improvável amizade nasce entre um humano e um roedor e é estendida para o campo profissional.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - DEIXE-ME ENTRAR

O cinema produzido fora do circuito hollywoodiano cada vez mais vem ganhando projeção e admiração do público, mas basta fazer sucesso que logo os produtores ianques se entusiasmam e correm atrás dos responsáveis para comprar os direitos de refilmagens. Isso acontece há anos, mas essa onda tem se intensificado devido a escassez de idéias que o cinema americano frequentemente enfrenta. Um dos trabalhos que gerou certo burburinho foi Deixe-me Entrar (2010), produção que foi lançada com a propaganda extra de ser baseada no terror sueco Deixa Ela Entrar, um sucesso de público e crítica que foi exibido em diversos festivais de filmes de terror e independentes e chamou a atenção dos americanos.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O ARTISTA E OS DESCENDENTES SE CONSAGRAM NO GLOBO DE OURO 2012

Fortes candidatos ao Oscar: Os Descendentes saiu da festa com dois prêmios e O Artista com três

Na noite do domingo dia 15/01, ocorreu a festa do Globo de Ouro 2012, premiação popularmente conhecida como uma prévia do Oscar. Pelo menos na edição do ano passado a maior parte dos premiados no jantar oferecido pelos jornalistas e correspondentes estrangeiros voltaram a subir no palco para receber o prêmio da Academia de Cinema. Como de costume, este ano novamente os cobiçados trofeús foram pulvorizados e muita gente voltou para casa feliz.

FESTIVAL DE FÉRIAS - O DIABO VESTE PRADA

Os chamados filmes-pipocas ao longo dos anos ficaram estigmatizados como produções tolas feitas para puro entretenimento visando principalmente fisgar a atenção do público jovem. Eles possuem enredos muitas vezes tão rasos quanto um pires e escamoteiam seus defeitos com recursos artificiais que vão desde a escolha de um elenco popular e bonito até os tão comentados efeitos em 3D, tudo dependendo da proposta. Porém, alguns títulos de sucesso e no melhor estilo sessão da tarde surgem de vez em quando para manter a nossa fé no cinema mais popular. O Diabo Veste Prada (2006) é um deles. O longa enfoca a milionária indústria da moda que acaba sendo refém dos jornalistas, profissionais que raramente conseguem obter o respeito e a importância que tanto almejam. No mundo fashion eles encontram isso e muito mais. O sucesso ou fracasso do trabalho de estilistas e costureiros dependem literalmente de algumas poucas palavras destas pessoas. Anna Wintour, por exemplo, é uma das mais influentes editoras de moda do mundo todo e foi nas experiências de trabalho que obteve como sua assistente que a autora Lauren Weisberger se baseou para escrever o livro que originou este longa (embora negue), uma obra que alia humor e crítica em doses generosas. 

domingo, 15 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - O LABIRINTO DO FAUNO

Fazer o espectador sonhar e transportá-lo para universos fantásticos onde a imaginação não tem limites é uma das funções que o cinema acumula para si. Em épocas em que bruxinhos, duendes, trolls, feiticeiros e afins invadiram os estúdios de filmagens com pretensões de agradar adultos e crianças ganhamos uma jóia rara em meio a mesmice. Não se trata de uma franquia e nem mesmo visa o público infantil. A primeira vista parece uma super produção hollywoodiana, mas na realidade ela é oriunda do México. A dica de hoje é O Labirinto do Fauno (2006), uma elogiada e premiada obra do cultuado Guillermo Del Toro, cineasta que construiu sua carreira sobre os alicerces da fantasia, ainda que sempre mantenha um pé na realidade. No início da década de 2000, ele já havia surpreendido com A Espinha do Diabo, uma eficiente mistura de suspense e drama histórico passada durante a Guerra Civil espanhola, mesmo cenário que utilizou para contar mais uma história triste sob a ótica imaginativa de uma criança.

sábado, 14 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS

Muita gente tem implicância com determinados artistas e por nada desse mundo dão o braço a torcer e assistem alguns filmes de seus desafetos, mesmo que eles sejam premiados e elogiados. Jim Carrey é um ator que sofre com isso até hoje. Sinônimo de comédia besteirol, ele surgiu para o grande público atingindo sucesso imediato em O Máskara, mas se suas caras e bocas funcionaram perfeitamente nesse trabalho, o mesmo não se pode dizer em tantos outros. Querendo se livrar do estigma do homem de um papel só, ainda na década de 1990 ele passou a explorar o gênero dramático com êxito, mas ainda assim muitos duvidam de sua capacidade e talento. Uma pena. Unindo drama com pitadas de humor, ele encontrou um personagem perfeito em Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004), uma ótima opção para aqueles que ao menos querem tentar mudar sua visão sobre o astro. Se um filme tem o poder de fazer uma pessoa mudar tamanho seu impacto, aqui temos esta sensação em dose dupla. Além de enxergar um intérprete de primeira em Carrey, o próprio enredo pode transformar quem assiste.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - O RITUAL

Hoje é sexta-feira 13, dia internacional de assistir produções de terror e suspense. Filmes inspirados em fatos reais têm um forte apelo junto ao público, mas também podem despertar desconfianças. Quando os tais acontecimentos envolvem assuntos do além, o preconceito é ainda maior, embora o número de curiosos seja grande. Produções do tipo foram e continuam sendo lançadas aos montes diretamente em vídeo e muitas são produzidas para canais de TV americanos, o que já sugere que os argumentos não são dos melhores assim como os produtos também não inspiram confiança em suas partes técnicas. Ainda bem que sempre alguma ao menos razoável pode ser encontrada em meio ao lixo e dar ânimo para confiar na recuperação dos suspenses sobrenaturais. O Ritual (2011) é um bom exemplo disso. Tendo como grande chamariz o nome do ator Anthony Hopkins nos créditos, a obra é baseada no livro homônimo de Matt Baglio, jornalista que conviveu alguns anos com padres exorcistas, entre eles Gary Thomas, protagonista da trama com nome trocado, que aprendeu a distinguir uma possessão de uma doença mental e acompanhou dezenas de exorcismos.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - SEM RESERVAS

Nem só de refilmagens de terror e suspenses orientais vive o cinema americano quando existe escassez de idéias. Muitas obras européias pouco a pouco vão ganhando suas versões americanizadas e antes que alguém se desespere acredidando que um filme muito bom será reduzido a pó em sua releitura é bom deixar avisado que sempre há uma luz no fim do túnel. A comédia romântica Sem Reservas (2007) é um bom exemplo. Baseada no longa alemão Simplesmente Martha, esta produção é um achado em meio a mesmice que se encontra no gênero, em geral sempre repetindo velhas e manjadas fórmulas que não acrescentam nada de novo. Neste caso as coisas não são muito diferentes, porém, é perceptível que a atualização do texto original para os padrões hollywoodianos foi bem feitinha, as atuações são vigorosas e sentimos certo ar europeu na idealização das imagens e narrativa. Se não chegou ao ponto de melhorar o que já era bom ao menos o remake não estragou nada, ainda que muitos considerem apenas mais uma historinha água com açúcar para agradar a mulherada e facilmente esquecível.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - AS LOUCURAS DE DICK E JANE

Férias, clima de curtição e quando procuramos um filme engraçado dificilmente não nos lembramos de Jim Carrey com suas caras e bocas que se para alguns provocam riso fácil para outros não passam de carcaterísticas de um bocó irritante. Quem aprecia comédias rasgadas certamente aprova as atuações do ator que vira e mexe tenta (e consegue) expor seu talento dramático, mas inevitavelmente está sempre com um projeto cômico engatilhado. Em As Loucuras de Dick e Jane (2005) mais uma vez ele não decepciona a quem curte seu jeito elétrico e despachado de atuar. Este filme é uma refilmagem de um trabalho da década de 1970 chamado Adivinha Quem Vem Para Roubar, mas só a premissa foi mantida. A história foi reformulada e adaptada para os novos tempos, sobrando até rápidas piadas críticas a respeito da imagem do imigrante latino nos EUA. Porém, o foco mesmo é fazer graça com piadas acerca de escândalos administrativos, algo muito em evidência na época do lançamento, usando o astro da comédia como o laranja de uma operação fraudulenta.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - INCONTROLÁVEL

Um meio de transporte desgovernado colocando em risco a vida de muitas pessoas e alguns poucos candidatos a heróis dispostos a tudo para impedirem uma terrível catástrofe. Bem, por essa linha de sinopse você já deve ter percebido que já viu essa mesma história de diversas formas e em diferentes épocas contando apenas com pequenas modificações que no fundo não trazem praticamente mudança alguma, mas ainda assim conseguem deixar muita gente roendo as unhas de tensão. Carros, aviões, ônibus e navios já invadiram os cinemas e Velocidade Máxima continua sendo o maior ícone deste tipo de produção. Com direção de Tony Scott, um apaixonado por filmes com altas doses de adrenalina, Incontrolável (2009) surgiu com intenções de roubar a coroa do endiabrado ônibus que foi salvo por Keanu Reeves e Sandra Bullock e entregá-la a dupla Chris Pine e Denzel Washington que enfrentam aqui um trem carregado de material altamente inflamável que está desgovernado. O longa não decepciona os aficionados pela mistura de ação e suspense, pelo contrário, é um daqueles próprios para curtir em momentos de ficar com o papo para o ar.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - O CLÃ DAS ADAGAS VOADORAS

Os filmes épicos orientais são verdadeiros colírios para muitos olhos e nos primeiros anos da década de 2000 conquistaram de vez as platéias ocidentais com um cinema vibrante, poético, colorido e que sabe utilizar as artes marciais com delicadeza e fascínio. O Clã das Adagas Voadoras (2004) não foge a regra. O diretor Zhang Yimou tem verdadeira paixão por obras que aliam a história da China com combates meticulosamente coreografados e pensados como se cada fotograma fosse tão belo quanto uma pintura. Depois do sucesso de seu longa anterior Herói no qual o cineasta investiu pesado em sequências de luta aqui ele encontrou formas mais sutis de mostrar seus golpes e chutes, começando muito bem com uma belíssima introdução mostrando a protagonista vivida por Zhang Ziyi em um balé de sons e de tecidos esvoaçantes que impressionam pela beleza plástica e perfeitos efeitos sonoros. Só vendo para crer e com a certeza de que depois deste início dificilmente alguém não ficará com os olhos grudados na tela.

domingo, 8 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - A CASA MONSTRO

Qual criança nunca sentiu aquela vontade de curtir um filme de terror, mas ainda assim o pavor era maior e a impedia? Ainda bem que no mundo das animações tudo é possível e até mesmo o que é feito para amedrontar pode ser uma excelente opção para divertir. Na onda das produções feitas para agradar crianças e adultos, A Casa Monstro (2006) é um desenho com ar deliciosamente retrô que veio para suprir a necessidade de sustos dos pequenos e de quebra fazer muito marmanjo relembrar bons tempos, porém, apesar de todo estilo nostálgico, o filme em nenhum momento diz em que época a história se passa. Fita cassete de música, estilo gótico de alguns personagens, carros de modelos antigos e gírias ultrapassadas já são exemplos bem claros de que o túnel do tempo foi aberto, provavelmente levando o espectador a saudosa década de 1980, mas a atmosfera envolvente criada pelo diretor Gil Kenan logo em sua estréia em longas animados não deixa em nenhum momento criança alguma desconectada, muito pelo contrário.

sábado, 7 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - QUEIME DEPOIS DE LER


Os irmãos Joel e Ethan Coen, que dividem diversas funções quando planejam um novo filme, parecem que nunca deixaram de estar em evidência desde a década de 1980. A cada trabalho lançado, a imprensa trata de transformá-lo em um evento, os envolvidos com cinema ficam de olho em novos possíveis cults e o público se divide entre aqueles que não compreendem as obras da dupla e aqueles que são fãs confessos de sua filmografia, se bem que nessa turma que fala que gosta pode haver um bom número de viajantes que só confirmam o positivismo para não serem pixados de bobões, incultos e afins. Sim, a filmografia dos Coen ganhou uma imagem de algo tão interessante, crítico e inovador que até gera certa pavor em alguns de confessarem que não apreciam o tipo de produções deles. Depois que eles ganharam o Oscar por Onde os Fracos Não Têm Vez aí sim remar contra a maré seria quase como um suicídio para alguns. O fato é que depois de enveredarem por uma narrativa mais séria eles voltaram as suas raízes destilando veneno na comédia Queime Depois de Ler (2008), uma sátira aos filmes de espionagem que tanto lucram para encher os cofres de Hollywood.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - UMA NOITE FORA DE SÉRIE

Hoje é sexta-feira e muita gente certamente pensa em sair da rotina e fazer alguma coisa diferente, como jantar em um restaurante, mas nem sempre essa idéia pode funcionar. Isso é o que provam Steve Carell e Tina Fey com a comédia Uma Noite Fora de Série (2010), uma produção muito agradável e que sabe fazer piadas mais picantes sem deixar o espectador constrangido. O diretor Shawn Levy certamente recrutou seus protagonistas influenciado pelo bom desempenho deles em seriados de TV, respectivamente "The Office" e "30 Rock". Escolados em humor estilo nonsense, ele já é velho conhecido no Brasil pelo seu desempenho em longas metragens, mas a sua parceira precisava de alguma comédia boa no currículo de cinema para fixar seu nome e aqui ela tem a chance. Eles formam um casal com muita química e são capazes de provocar risadas apenas pelas trocas de olhares, mas felizmente o texto os ajuda a divertir o público com uma premissa bem interessante e até bem desenvolvida, fora algumas cenas de humor mais forçadas ou um momento vamos discutir a relação quando a confusão está armada e pegando fogo, o que acaba dando uma quebrada de ritmo considerável.
 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - 72 HORAS

Filmes de ação e suspense hoje em dia dificilmente surpreendem ou podem ser classificados como excelentes. A reciclagem de temas e até a estagnação de certos atores repetindo papéis nestes gêneros levaram as produções desses estilos para o limbo. A maioria nem chega a ser exibida nos cinemas e acaba sendo lançada diretamente em DVD e fadadas a serem vendidas a preço de banana pelas locadoras em questão de poucos meses. Felizmente, vez ou outra surge algum nome em potencial para dar uma sacudida no cenário e quem sabe restabelecer a época em que perseguições, tiroteios e investigações policiais rendiam boas bilheterias e elogios. Um desses nomes pode ser Paul Haggis que tem visto sua carreira ascender de forma meteórica. Depois de se envolver em projetos mais sérios e premiados, como Crash - No Limite e No Vale das Sombras, seja como roteirista, diretor ou ainda acumulando as duas funções, este profissional decidiu se aventurar em algo no melhor estilo hollywoodiano: um filme que entretém, com um enredo interessante, um ator de peso encabeçando o elenco e no fim um produto que provavelmente será esquecido algum tempo depois. Assim é 72 Horas (2010), um thriller de ação cuja trama recorre ao recurso da perseguição de inocentes para tanto. E o resultado neste caso é até acima da média.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - CARAMELO

Se o cinema europeu já não é muito bem aproveitado e apreciado fora de sua região, o que dizer de uma produção árabe? Bem, os brasileiros que gostam de filmes alternativos e ficam com os ânimos exaltados nas temporadas de prêmios sérios ou nas de festivais e mostras podem se dar por satisfeitos de felizmente algumas distribuidoras nacionais se preocuparem em trazer obras de diversas nacionalidades para cá. Hoje é possível encontrar sem muito esforço trabalhos de países famosos, como Espanha e França, e com um pouco mais de boa vontade e espírito curioso descobrir verdadeiros tesouros oriundos da Índia, Bósnia, Grécia, enfim, a produção cinematográfica dos quatro cantos do mundo pode ser conhecida por todos, ainda que em pequenas e espaçadas doses. O fato de vários países se unirem para realizar um mesmo trabalho também ajuda a aumentar a distribuição. A dica desta quarta, por exemplo, é uma co-produção da França com o Líbano. Caramelo (2007) é um agradável drama com boas doses de humor que convida o espectador a conhecer o cotidiano e a intimidade de um grupo de mulheres que trabalham ou frequentam um salão de beleza cuja especialidade é a depilação feita com uma velha receita oriental que leva água, açúcar e limão ao fogo até formar uma massa pegajosa, o que explica o curioso título.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - O GALINHO CHICKEN LITTLE

Quando a Disney engrenou de vez pelo caminho da distribuição dos produtos da Pixar, ela perdeu praticamente sua identidade. Depois de sucessivos fracassos de bilheterias de produções em formato tradicional, ela decidiu copiar o modelo do estúdio colaborador e investir em trabalhos próximos ao estilo computadorizado que fizeram a fama de Monstros S.A. e Procurando Nemo, por exemplo. Para muitos, essa decisão significava dar mais valor a tecnologia e imagem do que ao roteiro e a emoção, mas com capricho e imaginação é possível aliar as duas coisas em um mesmo filme. A primeira investida solo dos estúdios do Mickey Mouse no campo da animação totalmente digital foi O Galinho Chicken Little, um longa que a crítica especializada recebeu com frieza e cheio de preconceitos. Obviamente, compará-lo com Shrek ou Os Incríveis é uma tremenda covardia. Com estilo de episódio esticado de série animada de televisão, é preciso se ater somente a ele para poder perceber que o mesmo cumpre o que promete: simplesmente divertir, principalmente a garotada.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - UMA GAROTA ENCANTADA

Desde que um ogro verde chegou aos cinemas e mudou a maneira do público enxergar os desenhos animados, diversas outras produções resolveram beber na mesma fonte e o resultado foi uma avalanche de filmes cheios de citações a outros sucessos do cinema, referências a acontecimentos de conhecimento mundial, criticas a sociedade moderna, mas tudo embalado por trilhas sonoras repletas de canções famosas e tendo como matéria-prima principal os contos de fadas. Não que as paródias e o recurso da intertextualidade fossem novidade no mundo cinematográfico, mas Shrek fisgou platéias de todas as idades com seu humor em cima das histórias clássicas de princesas que até hoje ajudam a sustentar o império Disney. Esse modelo de filme não se restringiu apenas ao gênero de animação e se estendeu, assim nasceu Uma Garota Encantada (2004), uma comédia infanto-juvenil, mas que pode ser muito bem apreciada também pelos adultos e uma excelente pedida para começar o ano bem.

domingo, 1 de janeiro de 2012

FESTIVAL DE FÉRIAS - SIMPLESMENTE FELIZ

Hoje é o primeiro dia do ano e é hora de fazer votos de que o novo tempo que começa seja bem melhor que o ano que acabou. Muita gente ainda continua com seus rituais para conseguir dinheiro, sucesso, amor, mas no fundo tudo que as pessoas buscam pode ser resumido em uma única palavra: felicidade. Ver a vida e os problemas com um olhar mais otimista deveria ser regra básica para os próximos doze meses e é dessa forma que vive a protagonista do filme Simplesmente Feliz (2008), uma produção modesta que mistura drama e humor de forma eficiente e que nos deixa com uma sensação leve e esperançosa ao final. Para trazer a tona tanta sensibilidade para atingir o espectador, só podia mesmo ser um trabalho de alguém fora da muvuca hollywoodiana. Mike Leigh é um cineasta britânico muito respeitado e premiado que adora lidar com histórias humanas, até mesmo as mais espinhosas como fez em O Segredo de Vera Drake, uma de suas obras mais famosas.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...