quinta-feira, 30 de junho de 2011

PIXAR FORA DE RUMO

A Pixar tem o poder do toque de Midas. Tudo que coloca a mão vira ouro. Bem, lucros certamente ela consegue facilmente, mas é bom não descuidar. Após mais de dez filmes bem sucedidos junto ao público e colhendo elogios e prêmios, com Carros 2 (2011), pela primeira vez, o estúdio está levando uns puxões de orelha por parte da crítica especializada e até do próprio público. Claro que é impossível nunca haver um escorregão na vida de uma produtora e a vez do estúdio de animação computadorizada chegou. Agora que a Disney e ela se uniram de forma definitiva e praticamente monopolizam o mercado de animação, esperava-se mais desta continuação do grande sucesso de 2006 que conquistou crianças e adultos. Lógico que ele não é um filme péssimo, mas em comparação aos outros títulos da companhia, inclusive o próprio original deste, deixa muito a desejar. O problema é que o roteiro enveredou pelo caminho das referências cinematográficas, misturando elementos de filmes sobre espionagem, como das franquias dos agentes Bourne e 007, adicionou termos e situações específicas do mundo das corridas automobilísticas que podem dispersar a atenção, mas adotou uma postura infantilizada. Assim, miraram para atingir dois públicos distintos ao mesmo tempo, mas não acertaram o alvo em nenhum. Ficaram no meio do caminho. Muito combustível para uma viagem que não sabe onde vai dar. É sempre bom lembar que são os filhos que obrigam os pais a assistirem o mesmo filme diversas vezes. Se não curtem, bilheterias menores são inevitáveis.

O início da animação é bastante tenso e nem parece que estamos acompanhando a continuação da franquia, pois há uma mudança radical de estilo. Uma cena em alto mar, um clima de mistério no ar e uma ótima montagem acompanhada de movimentos de câmera que convidam o espectador a fazer parte daquela situação. O vídeo de má qualidade que abre a produção é perfeito até em criar falhas propositais, criando assim um prólogo atípico, mas logo a já conhecida Radiator Springs entra em cena. Quatro anos se passaram e a cidade ganhou destaque graças ao sucesso de Relâmpago McQueen, vencedor de quatro Copas Pistão. Mais uma vez a adaptação de situações corriqueiras para um mundo habitado por automóveis provoca boas risadas, mas a criatividade da Pixar parece que ficou no meio da estrada comendo poeira. O roteiro já começa alterando um ponto importante: o protagonista. No primeiro, McQueen era o herói redimido, mas aqui as atenções são voltadas para Mate, o atrapalhado amigo do carro de corridas. Juntos eles vão a uma excursão por causa da disputa do Grand Prix Mundial e acabam se envolvendo em uma trama de intrigas quando o velho guincho é confundido com um espião americano. A partir, daí os clichês de vários filmes de espionagem passam a desfilar pela tela, sempre acompanhados de um bom toque de humor, já que a dupla de automóveis está sempre no lugar e na hora errados. Mate torna-se o elo entre duas tramas paralelas: as corridas em si e a disputa nos bastidores envolvendo o uso de combustíveis alternativos (mais um ponto fora do mundo infantil). O longa também ganha um novo personagem marcante. Finn McMíssil é uma espécie de agente 007 sobre rodas, pronto para entrar em ação quando for necessário.


Se o enredo trata de alinhavar os vários retalhos de filmes famosos de ação, o visual e as técnicas de animação acompanham o viés com cenas eletrizantes. Tudo é impregnado de muita adrenalina e movimentos, o que pode interessar as crianças, mas, como já dito, há muita coisa que pode ser de difícil assimilação dos pequenos, como nomes e situações ligados ao mundo do automobilismo e até uma insinuação de bullying. Também deve causar impacto ver, por exemplo, um carro explodindo, algo raro em produções infantis, já que tal ato remete a idéia de morte e violência. Apesar desses elementos, os excessos do personagem Mate infantilizam a produção. E faz isso até além da conta.

Um ponto a favor da produção são as escolhas dos exuberantes cenários. A corrida dos campeões, por exemplo, acontece em diversos países e antes da competição é apresentado um vídeo representando uma volta ao mundo, valorizando a cultura dos locais em que os carros passarão. As cenas que exibem as paisagens históricas e famosas são muito bonitas e ricas em detalhes, o que dá um toque todo especial a esta passagem. A qualidade da animação é soberba do inicio ao fim como de praxe, mas um filme necessita de um bom roteiro também para se sustentar. é bom deixar claro que a história não é ruim e as situações e piadas já manjadas devem encontrar seus apreciadores, mas por ser uma produção Pixar isso incomoda. Se fosse de outra produtora não existiria talvez essa decepção e seria totalmente aceitável. A capacidade criativa da produtora, no entanto, é bem superior. O resultado ficou parecendo um filme feito a toque de caixa para que o DVD fosse lançado a tempo para uma data festiva como o Dia das Crianças ou o Natal. Aliás, era costume da Disney lançar as continuações diretamente para consumo doméstico. Se fosse assim, Carros 2 poderia estar a salvo das críticas.


Fazendo uns trocadilhos, a Pixar soltou o freio de mão, cometeu algumas infrações, mas está longe de ter sua habilitação invalidada. Vai colecionar muitas multas e pontos negativos na carteira certamente, por parte da crítica e público, mas os erros servem para o aprendizado. Este projeto era muito aguardado e o estúdio derrapou na pista. Carros 2 não vai arruinar a imagem da empresa e com certeza vai gerar bons lucros, mas fatalmente será considerado com o tempo um título menor, praticamente esquecido entre preciosidades como Toy Story, Monstros S/A, Procurando Nemo...Pensando bem, na linha de chegada entre os filmes da companhia, a segunda aventura de McQueen e Mate deve ficar bem longe das primeiras colocações. O último lugar, infelizmente, é eminente.

2 comentários:

Rafael W. disse...

Tenho medo dessa continuação. Muito medo...

http://cinelupinha.blogspot.com/

Marcos Rosa disse...

Estava até ansioso pra ver esta continuação, gostei do primeiro. Acho que irei removê-lo para o fim da lista.


____
http://algunsfilmes.blogspot.com/

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...