quarta-feira, 1 de junho de 2011

ESQUECERAM DE... PAGEMASTER - O MESTRE DA FANTASIA

Bem, já que esta sessão do blog se chama "Esqueceram de Mim", nada melhor que iniciá-la com um filme de Macaulay Culkin, a promessa de astro do início dos anos 90 que acabou declinando tão rápido quanto chegou ao sucesso. Tendo ficado milionário com os dois primeiros filmes da série Esqueceram de Mim, seus próprios pais ajudaram a cavar sua sepultura. Extremamente gananciosos, controlavam a carreira do filho e metiam o bedelho em todos os seus trabalhos, assim, obviamente, produtores e diretores ficavam com raiva e muitos desentendimentos surgiam. A família Culkin foi arruinada por escândalos, os filmes do menino fracassavam, como Pagemaster - O Mestre da Fantasia (1994), e ele caiu em depressão e se meteu em relacionamentos ruidosos e com drogas. Hoje, ele aparenta ter se regenerado, mas seu sucesso nunca mais voltou. Seu irmão Rory Culkin, apesar de geralmente fazer pequenos papéis em filmes de pouca repercussão, é o responsável por manter o sobrenome do clã em evidência.

Na sua fase conturbada tanto na carreira quanto na família, Culkin protagonizou esta mistura de animação com atores de verdade, um recurso já batido para a época. Une-se ao estilo o roteiro tradicional do garoto solitário e medroso que encontra refúgio no mundo da literatura e pronto, mais um filme-clichê estava saindo do forno. Ruim para os críticos, mas para a criançada e aos adeptos de uma gostosa sessão de cinema em casa com a família, diversão pura.


Condenado à solidão e ao medo, Mac (Macaulay Culkin) é um garoto cheio de dúvidas e incertezas. Em um dia chuvoso, ele procura abrigo em uma biblioteca e acaba sendo transformado em desenho e vira personagem no mundo dos livros, sendo conduzido por esse mágico lugar pelo Mestre da Fantasia. Lá ele vive os perigos, alegrias, tristezas e aventuras de obras clássicas da literatura mundial como Moby Dick, O Médico e o Monstro e A Ilha do Tesouro. Assim, o menino amadurece e passa a vencer seus medos.

Com a mensagem de que os livros são fonte de inspiração e aprendizado e com um visual arrebatador e bem colorido, o filme é bem conduzido, mas fatalmente vira vítima de seu maior trunfo. As belas e sofisticadas imagens e o ritmo frenético da história acabaram soterrando as mensagens subliminares, mas nada que tenha desagradado seu público-alvo. Pagemaster - O Mestre da Fantasia não foi um grande sucesso nos cinemas, mas se recuperou depois com as fitas de vídeo, sendo alugado aos montes pela gurizada por anos, mas hoje é um título que se perdeu na transição para o DVD e sumiu da televisão também. Fica aí a dica para as distribuidoras correrem atrás e resgatar essa aventura para disponibilizar no mercado de varejo e locação.

2 comentários:

renatocinema disse...

Um entre tantos que não engrenaram na carreira por não ter estrutura. Me lembro de Pixote, no Brasil, que teve fim trágico.

Uma pena.

Sobre o filme: nunca me atraiu. Nunca me chamou a atenção..... dificilmente irei assistir.

Os dois primeiros Esqueçeram de mim foram bons. O resto na carreira do jovem astro virou pó.........que ele não tenha o mesmo final do amigo Michael Jackson.

Calili dos Santos Silva Santos disse...

Filme excelente. Me lembro que assisti pela primeira vez na clássica Tela de Sucessos lá nos anos 2000. Não tinha o julgo de perceber os clichês nem os recursos batidos, mas como criança na época gostei muito e hoje relembrei dele assistindo. Zanzando no google sobre o filme achei esse post e gostei do texto. Parabéns meu velho.
Abraços.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...