quinta-feira, 22 de março de 2012

EWAN MCGREGOR À TODA PROVA


Galãs de cinema são fáceis de achar, mas é difícil encontrar homens que aliam talento e beleza. São diversos os exemplos de promessas que fizeram apenas um ou dois filmes, se fixaram no gênero romance ou se dedicaram às produções adolescentes até que o rostinho bonito e a boa forma permitiram. Ainda bem que as novas safras de galãs perceberam que só se mantém na profissão quem realmente sabe se entregar a um personagem e Ewan McGregor é um bom exemplo, um profissional que desde o início da carreira optou por trabalhos consideráveis e variações de estilos cinematográficos sem ter medo de errar, afinal de contas é errando que se chega à perfeição.
Ewan Gordon McGregor nasceu em Crieff na Escócia em 31 de março de 1931. Ele é filho de Carol Diane McGregor, uma professora que atualmente é a assistente pessoal do filho, e de James Charles Stewart McGregor, também um educador. Vivendo em um ambiente onde as atividades acadêmicas eram um assunto constante, foi com a convivência com o tio, o ator Danis Lawson, que o caçula da família foi influenciado para seguir a carreira artística. Quando criança ele participou de vários projetos teatrais amadores e gostava de entreter amigos e familiares com imitações Elvis Presley. Apaixonado por artes e música, infelizmente ele não encontrava espaço para exercer seus talentos nestas áreas na escola e por isso mesmo detestava estudar, sendo que largou os estudos aos 16 anos. Em questão de dias conseguiu um emprego como ajudante de palco em um teatro e em 1988 fez sua primeira participação em uma peça.
Decidido pela carreira de ator, McGregor passou por várias entrevistas e testes até conseguir entrar para um conceituado curso de interpretação. Passou um ano estudando e em 1989 surgiu uma oportunidade de ir para Londres, mas também essa foi a primeira grande decepção do futuro astro. Ele gastou quase todo seu dinheiro para participar de um teste da conceituada Royal Academy of Dramatic Arts, mas foi rejeitado. Algum tempo depois ele foi aceito pela Guildhall  School of Music and Drama e quando deixou o local já foi levado para a TV e ganhou um papel de destaque na série “Lipstick On Your Collar”  e depois em “Family Style”.
Em 1994 o ator estreou no cinema com o longa Segredos da Vida, onde atuou ao lado de Robin Willians em uma história que acompanha cinco pessoas homônimas que buscam seu lugar no mundo cada um em uma época diferente. A produção diferenciada certamente influenciou McGregor pelo gosto por trabalhos desafiantes e alternativos. No mesmo ano, foi recrutado pelo cineasta Danny Boyle par atuar em Cova Rasa. No longa, seu personagem divide um apartamento com outros dois amigos, mas eles aceitam que uma quarta pessoa se instale no local. O problema é que o contemplado com a vaga morre de overdose e uma mala cheia de dinheiro está entre seus pertences alterando a rotina de todos.
A parceria com Boyle foi retomada em Trainspotting – Sem Limites (1997), drama que explora o submundo das drogas e a relação dos jovens com o vício. McGregor interpreta um rapaz que tenta se livrar do vício em heroína e o longa enfoca como essa sua decisão afeta suas relação com familiares e amigos. Até hoje é um dos títulos mais realistas sobre o tema e permanece como um retrato da juventude desorientada da década de 1990 que confundiu liberdade de expressão com liberação da amoralidade e do proibido.
Entre participações em outros longas alternativos, como Velvet Goldmine e Laura – A Voz de Uma Estrela, ambos de 1998, destaca-se no currículo do ator sua parceria com o excêntrico cineasta Peter Greenway, um adepto de cenas e temas chocantes. Em O Livro de Cabeceira (1996), McGregor interpreta um bissexual que trabalha como tradutor que conhece uma jovem japonesa que tem prazer em ter seu corpo nu usado para a escrita como se fosse um papel.
Cinemão made in Hollywood
Acostumado a projetos que geralmente agradavam mais aos críticos que ao público e consequentemente eram exibidos em circuitos menores e rendiam baixas bilheterias, o ator fechou o século 20 atuando em um projeto milionário e que foi sucesso mundial aceitando viver o personagem Obi-Wan Kenobi em Star Wars – Episódio 1 – A Ameaça Fantasma (1999), filme que retomava a saga Guerra nas Estrelas. O mesmo papel ele repetiu nas duas sequências da aventura espacial lançadas em 2002 e 2005.
Conhecido agora do grande público, McGregor passou a ser um dos nomes mais requisitados de Hollywood. Em 2001, foi recrutado por Ridley Scott para viver um soldado em Falcão Negro em Perigo, dividindo espaço com um inflado elenco, e surpreendeu soltando a voz no musical Moulin Rouge – Amor em Vermelho. A parceria com Nicole Kidman foi tão intensa que houve especulações de que o romance das telas ultrapassou fronteiras já que a atriz havia se separado do marido Tom Cruise após quase uma década de união. Porém, as fofocas foram desmentidas. Aliás, o ator é casado desde 1995 com a mesma mulher e tem três filhas.
Em 2003, o público recebeu com surpresa a notícia de que o astro foi escolhido como protagonista de Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas. O cineasta Tim Burton raramente deixa Johnny Depp de fora de um seus trabalhos, mas aqui optou por entregar o papel de protagonista a McGregor que vive um homem que durante sua vida passou por muitas situações inusitadas e conheceu pessoas excêntricas, mas suas histórias despertam  desconfiança quando contadas em sua velhice. No mesmo ano, foi o par romântico de Renée Zellweger em Abaixo o Amor, uma deliciosa comédia que exalta a cultura da década de 1960. Ele vive um jornalista galanteador que arma um plano para desmentir as teorias de uma escritora feminista que afirma que a mulher não precisa do homem para ser feliz. O casal voltaria a trabalhar junto em Miss Potter (2006), longa sobre uma famosa escritora de livros infantis britânica.
Nos anos seguintes, participou da ficção científica A Ilha (2005), viveu um psicólogo em meio a um confuso caso em A Passagem (2005), interpretou um padre no sucesso mundial Anjos e Demônios (2009), trabalhou com diretores consagrados como Woody Allen e Roman Polanski, respectivamente em O Sonho de Cassandra (2007) e O Escritor Fantasma (2010), e dublou as animações Valiant e Robôs, ambos de 2005. Em 2011, trabalhou em Toda Forma de Amor, no qual vive o filho de um senhor de idade que se revela homossexual e ter câncer. O baque destas notícias e o fato de ter perdido a mãe alguns anos antes ajudam o rapaz na construção de sua vida para que ele não falhe com a família que pretende construir.
Embora seja uma figura bem respeitada tanto no circuito comercial quanto alternativo, McGregor ainda é um talento a ser descoberto pelas premiações, principalmente pelo Oscar que até o momento o ignorou, mesmo tendo boas chances de ao menos indicá-lo por Moulin Rouge e Toda Forma de Amor. De qualquer forma, o ator escocês cada vez mais firma seu nome em Hollywood com interpretações inspiradas e que demonstram a total entrega do profissional ao seu trabalho. O empenho é recompensado pelas várias propostas de trabalho. Para os próximos anos, cinco projetos do ator devem estrear. Isso que é reconhecimento de verdade: agenda cheia.

Nenhum comentário:

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...