sábado, 21 de maio de 2011

O BOM E VELHO PIRATA

Em 2003, a Disney apostou todas as suas fichas em um projeto que poderia se tornar um sucesso estrondoso ou um retumbante fracasso. A primeira opção venceu com folga as expectativas. Criado a partir de uma das atrações temáticas dos parques da empresa, Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra se tornou um dos filmes mais bem sucedidos dos últimos tempos, desenterrou do fundo dos mares do esquecimento o gênero capa e espada em alto-mar e enriqueceu ainda mais a já bem-sucedida carreira de Johnny Depp, que criou um pirata com visual clássico, mas com certas particularidades que o tornam notório. O resultado é uma trilogia que arrecadou bilhões nos cinema e nas vendas de DVD e um punhado de indicações ao Oscar, incluindo a primeira de Depp. Portanto, um quarto episódio não é de se estranhar e pelo andar da carruagem, ou melhor, do navio, as coisas não devem parar após Piratas do Caribe - Navegando em Águas Misteriosas (2011).  

O novo longa-metragem não difere muito dos episódios anteriores da série. Sem dividir a cena com Orlando Bloom e Keira Knightley, Depp reina absoluto. É possível dizer que sem ele provavelmente a carreira dos piratas Disney já teria naufragado há tempos. Porém, no quarto episódio, seu personagem está ligeiramente mudado. Ele continua se virando como pode para fugir das confusões em que se mete, mas os exagerados trejeitos do espertalhão dos sete mares foram diluídos. Fora isso, a nova aventura do pirata Jack Sparrow segue à risca a receita dos outros filmes, incluindo os pontos negativos. Por exemplo, o enredo se perde em meio a tantos navios e personagens e falha ao deixar indefinidos os objetivos de cada um e a fotografia em certos momentos é demasiadamente escura.


O novo filme tem o mérito de não ser egocêntrico como o segundo e terceiro episódios que são recheados de cenas cômicas e de aventura, mas que se esquece de oferecer um bom final ao público. A produção se empolgou tanto que parece que trabalhou para o próprio deleite. O quarto exemplar da série tem uma narrativa mais linear. O capitão Sparrow vai para Londres resgatar um integrante de sua tripulação no navio Pérola Negra, onde fica sabendo que seu nome está sendo usado por alguém para conseguir marujos para uma viagem em busca dos cálices da Fonte da Juventude. Quem está fazendo isso é uma antiga namorada do pirata, Angelica, interpretada por Penélope Cruz, a filha do lendário Barba Negra, papel de Ian McShane, que já está nas últimas. A moça quer encontrar a tal fonte para garantir alguns anos a mais para o pai. O velho capitão Barbossa, feito pelo sempre competente Geoffrey Rush, bate ponto aqui também.

Os bons efeitos especiais foram mantidos assim como o clima sombrio e fantasioso da obra. O público é convidado a fazer uma viagem por locais habitados por sereias, cavernas sinistras adornadas por caveiras e esqueletos que afugentam os espertalhões em busca de tesouros e passeios vertiginosos pela paisagem natural das ilhas. São pouco mais de duas horas bem servidas de adrenalina e humor, mas também há muita conversa mole para encher linguiça.


Talvez com o objetivo de iniciar uma nova série das aventuras de Sparrow, o diretor Rob Marshall, dos musicais Chicago e Nine, parece bem a vontade no campo da aventura e com a inserção de novos personagens o terreno está aberto para uma nova trilogia. Levando a sério o ditado em time que está ganhando não se mexe, o cineasta fez de Piratas do Caribe - Navegando em Águas Misteriosas uma obra que deve agradar aos fãs da cinessérie, que não são poucos, mas realmente fica uma sensação de que falta algo de novo, é tudo mais do mesmo. Mas deve ser isso que o público quer. O bom e velho Sparrow em cena já basta.

2 comentários:

Kelly Christi disse...

Olha Guilherme, eu adoro essa série de filmes, acho esta super criativa bem interpretada e como vc. disse tanto o segundo quanto o terceiro é cheio de comicidade, mas uma comicidade ao meu ver bacana, coisa que vários críticos de cinema não concordam, mas enfim, eu sou uma reles amantes da arte cinematográfica hehe abraço.

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

renatocinema disse...

Gostei dos primeiros filmes, me diverti muito.

Esse novo Depp deve dar mais um show, ainda contando com a participação de seu pai, e meu ídolo Keith Richards. Sexta-feira, sem falta irei ao cinema me deliciar com os piratas.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...