quinta-feira, 27 de outubro de 2011

ADORÁVEL ANNETTE BENING


Ela não tem um currículo gigantesco e também não conta com um grande prestígio do público. Não porque não tem talento, mas sim por ser muito seletiva para a escolha de seus trabalhos. Isso faz com que ela acerte na maioria das vezes e suas interpretações costumam agradar aos críticos. Annette Benning não é novata no ramo, mas se tornou mais popular nos últimos tempos e graças as suas indicações a prêmios. Atriz de meia idade, ela hoje aproveita para trabalhar e colher os louros que sua exposição lhe trouxe, coisa que quando mais jovem não teve oportunidade. 

Annette Carol Bening é uma atriz norte-americana nascida na pequena cidade de Topeka, no Texas, em 29 de maio de 1958. Seus pais não são do ramo do cinema ou qualquer outra área ligada as artes, mas ela desde criança demonstrou aptidão para a interpretação participando de diversas peças escolares. Em 1965 ela se mudou com a família para San Diego e entrou para a escola secundária onde começou a atuar como atriz fazendo o papel principal do espetáculo "A Noviça Rebelde". Depois, entre seus estudos de artes dramáticas na Universidade Estadual de San Francisco, passou um ano trabalhando em um navio de cruzeiro como cozinheira, mas logo juntou-se a companhia de atores do American Conservatory Theather e iniciou uma carreira teatral bem sucedida.

Em 1988, já aos trinta anos de idade, finalmente ela faz sua estréia no cinema após algumas passagens por filmes feitos para a TV e participações em alguns seriados. Ela estreou ao lado dos experientes no campo do humor Dan Aykroyd e John Candy na comédia Férias em Família, trabalho pouco visto, esquecível e em papel secundário. Porém, Annette teve a sorte de não precisar embarcar em um monte de canoas furadas antes de alguém perceber seu valor. O famoso e premiado cineasta Milos Formam ofereceu a ela o papel da Marquesa de Merteil no drama de época Valmont - Uma História de Seduções (1989), mais uma filmagem do livro “Ligações Perigosas”. Ela interpreta uma aristocrata que faz uma aposta com seu amante se ele é capaz de arruinar um casamento usando seu poder de sedução. Era a chance de ela ter seu reconhecimento em uma idade em que muitas atrizes já estão firmes na carreira cinematográfica, mas a produção foi mal recebida pelo público. Mesmo assim, o papel a ajudou a entrar para a lista do primeiro time de intérpretes e num piscar de olhos ela já estava no elenco de um grande sucesso de crítica e público e conquistando sua primeira indicação ao Oscar em um papel coadjuvante. Em Os Imorais (1990), encarnou uma vigarista que utiliza sua beleza para aplicar os mais diversos golpes.

No ano seguinte, em 1991, Annette conquistava não só seu reconhecimento profissional definitivo como também um grande amor. O ator e diretor Warren Beatty, figura praticamente desconhecida para as novas gerações, a convidou para ser seu par romântico em Bugsy, longa em que vive uma estrela de cinema. O filme se tornou popular e concorreu a diversos Oscars, mas a atriz não chegou a ser indicada desta vez. Porém, seu grande prêmio foi na vida pessoal. O romance da ficção ultrapassou barreiras e se tornou realidade, assim ela transformou em um pai de família um dos homens mais mulherengos da história de Hollywood. O relacionamento começou em segredo durante as filmagens, mas logo eles se casaram e tiveram quatro filhos. Justamente por estar grávida diversas vezes ela manteve um ritmo lento na carreira e perdeu cobiçados papéis como o da Mulher-Gato em Batman - O Retorno em 1992.

Voltou a trabalhar com o marido em Love Affair - O Amor da Minha Vida (1994), uma história em que duas pessoas se apaixonam durante uma viagem, mas já são comprometidos. Em seguida, formou par romântico com Michael Douglas em Meu Querido Presidente (1995), longa sobre um político aspirando sua reeleição, mas que se complica ao viver uma grande paixão. Também participou do projeto pessoal de Al Pacino intitulado Ricardo III - Um Ensaio (1995), misto de ficção e documentário a respeito das obras do escritos William Shakespeare. Continuou com seu ritmo irregular de trabalho atuando na comédia pastelão Marte Ataca! (1996), ganhou uma bela quantia de dinheiro para participar da ação sobre terrorismo Nova York Sitiada (1998) e também fez o confuso, porém intrigante A Premonição (1999), como uma mãe atormentada pelo sumiço da filha e seus sonhos com um delinquente.



Beleza revelada

A popularida veio com a sua segunda indicação ao Oscar, desta vez como atriz principal. Em Beleza Americana (2000) ela vive uma mulher casada e com uma filha adolescente que vive uma vida feliz de fachada, mas na realidade ela está insatisfeita com sua rotina e e seu casamento está por um fio. O longa venceu cinco categorias do Oscar, mas a intérprete perdeu sua estatueta para a então desconhecida Hilary Swank, mesmo ela sendo a favorita da noite. Curiosamente, alguns anos depois, o fato se repetiu. Vencedora do Globo de Ouro por Adorável Júlia (2004), o Oscar poderia ser seu finalmente, mas perdeu outra vez para Hilary. O filme já chegou enfraquecido na premiação por só ter recebido uma indicação, mas nada que desmereça esta produção em que ela vive mais uma vez uma mulher que aparentemente tem uma vida perfeita, uma atriz de teatro de sucesso e com um devotado marido, mas que vive entediada e vê a chance das coisas mudarem quando passa a se relacionar com um fã.

Annette voltou a ser muito elogiada algum tempo depois pelo pouco visto Correndo com Tesouras (2006), na pele de uma mãe aspirante a poeta que sofre de um disfunção bipolar, o que atrapalha ainda mais para que ela tome as rédeas de sua família um tanto problemática. Alguns críticos ficaram insatisfeitos com a Academia de Cinema quando descobriram que nem mesmo indicada pelo longa a atriz foi. Em seguida, ela continuou com suas passagens esporádicas pelos cinemas na comédia Mulheres - O Sexo Forte (2008), produção que leva o espectador a uma ou outra risada, mas se revela frouxa, até mesmo pelo seu gigantesco elenco feminino que não encontra no roteiro momentos para todas brilharem.

Em 2010, a já cinquentona intérprete esteve mais uma vez bem próxima de colocar as mãos na famigerada estatueda dourada, mas novamente foi atropelada por uma jovem. Perdeu o Oscar para Natalie Portman, indiscutivelmente merecedora, mas levou para casa seu segundo Globo de Ouro graças a divisão que existe nessa premiação entre as produções de dramas e as de comédias. O longa da vez era Minhas Mães e Meu Pai, longa de humor mais cabeça em que ela vive com Julianne Moore um relacionamento amoroso com direito a filhos através de inseminação artificial. A harmonia do casal lésbico sofre um baque quando o pai dos adolescentes aparece e passa a conviver cada vez mais perto dessa família moderna.

Sempre existe uma luz no fim do túnel e Annette Bening aindo pode conquistar seu Oscar. Mesmo com uma carreira com diversos hiatos, quando ela decide voltar a cena escolhe bem seus papéis. Até seus projetos mais comerciais ou de pouco retorno financeiro ou d ecrítica não chegam a manchar seu currículo. Resta saber quando ela vai dar o ar da graça novamente. Se ela seguir o ritmo do maridão... Bem é melhor esperar sentado que de pé cansa.

Um comentário:

renatocinema disse...

Bela e merecida homenagem.

Não sou grande conhecedor do trabalho dessa bela atriz.

Belo texto.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...