sexta-feira, 1 de abril de 2011

CHICO XAVIER, O RETORNO

Depois dos sucessos da cinebiografia Chico Xavier e de Nosso Lar, o longa inspirado em uma obra do médium, chega agora ao cinema As Mães de Chico Xavier (2010), mais uma produção para dar continuidade a linha de filmes espíritas iniciada em 2008 com Bezerra de Menezes. O filme estréia em uma data simbólica, às vésperas da data de aniversário do homenageado. Se estivesse vivo, Chico completaria 101 anos. Como tinha seu lanaçmento previsto para o ano passado, a produção foi escolhida para encerrar as comemorações do centenário do médium.

A transposição de mais alguns episódios da vida do médium para o cinema segue a linha de suas obras psicografadas que são verdadeiros sucessos de venda até hoje. O que se pode esperar do filme é mais um longa emocionante e com mensagens reconfortantes. Sai Cristiane Torloni de cena, mas entram três mães desesperadas em busca de uma palavra do filho falecido ou para ter uma luz em um momento difícil interpretadas por Vanessa Gerbelli, Via Negromonte e Tainá Muller. Elas representam algumas centenas de mulheres que se consultaram com Chico durante a sua vida e que conseguiram ganhar forças para continuar a viver graças a ajuda dele.

O roteiro surgiu do livro "Por Trás do Véu de Ísis", escrito por Marcel Souto Maior, também autor da biografia que inspirou o filme de Daniel Filho. Aqui o enfoque não são as investigações jornalísticas sobre o fenômeno da mediunidade, mas sim o sentimentalismo que envolvem as mulheres que buscam a ajuda de Chico, mais uma vez interpretado pelo ator Nelson Xavier. Ele próprio, após interpretar o espírita, divulgou ter mudado seus pensamentos em relação a sua descrença.


Apesar da mudança de enfoque, a imprensa ainda comparece na trama na pele do ator Caio Blat que interpreta um repórter que vai a Uberaba para acompanhar o trabalho de Chico de perto e há até uma alfinetada destinada aos meios de comunicação. O editor da emissora (Herson Capri) em que o rapaz trabalha o avisa para ser fiel aos fatos, não manipulá-los. Coisa rara hoje em dia. A história demora um pouco para ganhar ritmo para poder apresentar os personagens, todos com algum tipo de relação. Os dramas das três mães dão a tônica do filme e Chico aparece aos poucos, a princípio justamente por causa do trabalho do jornalista com aquelas mulheres.


O resultado final de As Mães de Chico Xavier é um filme edificante que leva ao público mensagens positivas e tenta afastar as idéias referentes ao aborto, uso de drogas, enfim tudo aquilo que pode ceifar uma vida desnecessariamente. Emociona, provoca reflexão e provavelmente levará multidões ao cinema, pois parece que a onda espírita não vai acabar tão cedo. Provável que ainda muitas obras do tipo, nacionais ou não, cheguem aos cinemas inclusive este ano.

2 comentários:

Andy A. disse...

eu não espero grande coisa deste filme , até porque não gostei do filme chico xavier , mas como sou cinéfilo vou ir ver ... seu blog é ótimo parabéns.

renatocinema disse...

Acho que o filme pode até ser bom...mas, essa mania do cinema de seguir uma linha até o máximo, no caso filmes espíritas, me irrita um pouco.

Temos que exigir criatividade.

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...