sexta-feira, 29 de abril de 2011

RIO DE JANEIRO ANIMADO

O Brasil ganhou cores e movimento em desenho animado gringo. Ou melhor, parte do país. Rio (2011) é uma animação assinada por Carlos Saldanha, o diretor que fez sucesso em solo americano dirigindo a segunda e terceira parte de A Era do Gelo e co-dirigindo o simpático Robôs. Os bons resultados de seus trabalhos deram carta branca para um projeto bem mais pessoal, mas com a tarefa de também agradar crianças e adultos do mundo todo. A animação é lançada em uma excelente época, já que o Rio de Janeiro abrigará futuramente alguns jogos da Copa do Mundo e as Olimpíadas, assim a cidade está super visada. É até um ato de coragem um grande estúdio como a Fox liberar verba para um projeto que no fundo tem um tom de homenagem e poderia resultar em um grande fracasso por muitas pessoas torcerem o nariz por focar uma cidade brasileira. Os resultados positivos provam que o Brasil está avançando em diversos aspectos, inclusive no campo cinematográfico. O próprio Saldanha é cria nacional e importado para os states.

O cenário escolhido por Saldanha para seu novo filme foram as paisagens turísticas do Rio de Janeiro, incluindo os famosos Pão de Açúcar e o Cristo Redentor. Vegetação exuberante, animais típicos da região e, como não podia faltar, o samba, são os protagonistas desta aventura que aborda um tema muito atual e de grande importância: a devastação da natureza pelos humanos e o tráfico de animais silvestres.

A história fala sobre Blu, uma arara azul que nasceu no clima tropical do Rio de Janeiro e não sabe voar, foi capturada e levada para a gelada Minnesota nos Estados Unidos. Lá ele passa a ser criado por Linda, com quem mantém um forte laço afetivo. Um dia, o ornitólogo Túlio informa que Blu é o último exemplar macho de sua espécie e precisa se acasalar com a única fêmea viva que vive justamente na cidade natal dele. Linda e Blu partem ruma a cidade maravilhosa, onde conhecem a arara Jade, uma ave que ama a liberdade, tem um espírito forte e não quer se envolver com o companheiro que lhe arrumaram. Quando o casal de bichanos é capturado por uma quadrilha, os dois ficam acorrentados e precisam unir forças para conseguir fugir.



Os primeiros minutos do desenho já dão uma amostra do que o espectador pode esperar. O impacto do visual carioca é seguido pela beleza visual e pelos traços realistas dos animais. Para tanto, vários integrantes da equipe técnica estudaram os comportamentos das aves e também visitaram o Rio para ver de perto os detalhes da cidade. Tudo para ser o mais realista possível. Aliás, o próprio Rio é transformado em personagem principal repleto de características típicas, como a paixão pelo futebol e alegria do carnaval, além das mazelas da região. Até a desigualdade da população é citada quando um garoto ajuda no sequestro das aves, um ato criminoso, mas justificado como único meio de sobrevivência.


Causa espanto ver algumas críticas espalhadas em alguns sites, blogs e jornais denegrindo o filme. Muitos criticam afirmando que o filme acaba com a imagem da cidade, acham que é realista demais para uma animação. Outros defendem o desenho dizendo que ele é bem melhor que muita produção nacional. Já algumas pessoas deixam explícito seu preconceito e repúdio ao próprio país. O fato é que Rio é uma animação deslumbrante, seja pelos personagens cativantes ou pelos desenhos caprichados, mas principalmente pelo realismo com que o Rio de Janeiro foi representado. Saldanha captou com sabedoria o espírito quente e alegre da cidade maravilhosa, não jogou para debaixo do tapete algumas mazelas e deu um presente ao seu país natal. E o público agradeceu. Já é um campeão de bilheteria absoluto e no Brasil promete bater o sucesso de Tropa de Elite 2. Mesmo sendo produção americana, com certeza para os brasileiros ele aparenta ser muito mais nosso.

Um comentário:

marcosp disse...

Rio é um deslumbre realmente, mas o roteiro em si e no seu final deixa a desejar...Trilha imperdível! Recomendo!

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...