quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

TROPA DE ELITE 2 NO TOPO

O cinema nacional está em festa! Em exibição nos cinemas desde meados de outubro, Tropa de Elite 2 (2010), de José Padilha, conquistou na última terça-feira, 07/12, o famigerado posto de filme mais visto da história do cinema nacional, desbancando do trono Dona Flor e Seus Dois Maridos, de Bruno Barreto, que ocupava a tão privilegiada vaga há 34 anos.

O filme baseado na obra de Jorge Amado conquistou um grande público, mas muitos alegam que isso só ocorreu porque eram outros tempos e as opções de lazer eram escassas. Repetir o feito era uma tarefa quase impossível, mas aconteceu. Mesmo enfrentando a concorrência de outros meios de diversão, pirataria e os blockbusters americanos, Tropa de Elite 2 chegou essa semana a impressionante marca de 10.736.995 espectadores, um total de quase 1,5 mil de ingressos a mais do que os vendidos por Dona Flor.

Não desmerecendo o sucesso do filme de Padilha e nem o de Barreto, é importante ressaltar as diferenças existentes nos períodos de lançamento para explicar esses fenômenos de público. Na década de 1970 os filmes eram lançados em número menor de salas, não existiam os complexos de shopping, e ficavam meses em cartaz, as vezes até completavam mais de um ano em cartaz. Hoje, o número de salas é maior, há variedades de horário, porém o filme fica menos tempo em cartaz, dificilmente ficam em grande circuito por mais de quatro meses, exceto produções infantis. O longa deve passar a virada de ano em exibição e ainda continuar até meados de fevereiro ou março de 2011, época em que também será lançado em festivais internacionais.

Padilha, em entrevista à "Folha de São Paulo", declarou que muitas pessoas diziam que o filme não teria forte apelo junto ao público porque a história era mais complexa e o diretor chutou que sua obra levaria cerca de 4 milhões de espectadores aos cinemas. Lançado em 600 salas, o número de cópias em exibição foi aumentado na segunda semana, coisa rara de acontecer.

Nesta continuação do sucesso de 2007, Nascimento (Wagner Moura), agora coronel, foi afastado do BOPE por conta de uma mal sucedida operação. Assim ele vai parar na inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Contudo, ele descobre que o sistema que tanto combate é mais podre do que imagina e que o buraco é bem mais embaixo. Seus problemas só aumentam também no campo da vida pessoal. Seu filho Rafael (Pedro Van Held) tornou-se adolescente, Rosane (Maria Ribeiro) não é mais sua esposa e seu arqui inimigo Fraga (Irandhir Santos) ocupa agora posição de destaque em sua família.

Campanha inteligente

Ajudou, e muito, a campanha de lançamento que o filme do famoso Capitão Nascimento teve. O trailer foi disponibilizado no You Tube pela Globo Filmes e empolgou o público. Foram estudadas as campanhas de blockbusters americanos também. O diretor declarou que se outros filmes nacionais tivessem tido um lançamento mais bem cuidado e estudado, o número de espectadores poderia ser bem superior.


Com o filme gerando expectativa meses antes do lançamento, incluindo a exibição de comerciais na TV com meses de antecedência, muita gente estava louca para baixar o filme ou correr no camelô mais próximo, mas caíram do cavalo. Padilha cercou sua obra de cuidados durante a finalização para evitar a pirataria virtual ou nas ruas. Durante esse processo, somente ele e outras poucas pessoas tiveram acesso a um apartamento onde foi feita a edição, mas nenhum computador tinha acesso a internet. Calcula-se que o primeiro longa poderia ter sido um enorme sucesso caso não houvesse a pirataria, inclusive chegando a marca de mais de 10 milhões de espectadores.

Hoje é possível encontrar Tropa de Elite 2 na internet e em dvd pirata, mas gravado em cinema, versão de péssima qualidade. Assim, Padilha, além de levar o crédito de ser o diretor do filme nacional mais visto de todos os tempos, ele também foi autor de um duro e merecido golpe na pirataria. O fenômeno prova o quanto o consumo de produtos falsificados prejudica o cinema na hora de fechar as contas. Quando as cópias ilegais não existem, tudo volta a funcionar da maneira correta. Porém, a clandestinidade sempre dá um jeitinho. Sem lucrar com o segundo episódio, que tal lucrar com o terceiro? Sim, já está disponível em versão pirata, pelo menos no Rio de Janeiro, a terceira aventura do Capitão Nascimento, quer dizer, a aventura dos jornalistas da Globo, pois o intitulado "Tropa de Elite 3", entre aspas mesmo, é uma colagem de cenas gravadas da TV de repórteres fazendo a cobertura do recente combate entre policiais e traficantes no Rio. Bobo de quem compra. Um terceiro episódio de Tropa não está confirmado, apesar de que pelo sucesso dos outros dois longas, investidores não faltarão.

Um comentário:

marcos disse...

hehe, que filmaço hein, roteiro impecável, drama, ironia, corrupçao e humor mesclados, todo brasileiro deveria assistir...

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...